Tarifação: Novo reajuste 28/08/2017

Compartilhe o Post

  • Análise:
    Levantamos os dados apresentados na planilha abaixo tomando por base um conjunto de Lotéricas de nossa região. Estes dados nos permitem calcular o Reajuste Médio Ponderado (vide planilha).
  • Planilha:
    Consideramos a média de autenticações dos itens apurados no período e comparamos o valor da comissão com a tarifa atual e com a nova tarifa.
  • Conclusões:
    (1) O item Convênios (Concessionárias) foi o que teve o maior reajuste (23,26%). Como este item representa praticamente 31% dos itens tarifados, o aumento de 23,26% afetou substancialmente a Média Ponderada dos Reajustes.
  • (2) Alguns itens não foram reajustados. Exemplo: Bloquetos de outros Bancos, GPS, INSS, etc.(3) Há itens que tiveram suas Tarifas diminuídas! É o caso do Saque da Conta 023 e também do Serviço de Fornecimento de Saldo.

    (4) Os maiores reajustes foram:
    Concessionárias (Convênios): 23,26%
    Tributos Federais: 20,45%
    Cadastramento de Senha OP 023: 17,50%

    A planilha acima nos mostra que, em média, houve um reajuste de 8,53 no cômputo geral e que a Comissão Média por Autenticação passou de R$ 0,5831 para R$ 0,6328, ou seja, de 58 centavos para 63 centavos.

    Observe que para cada Lotérica o impacto deste reajuste será diferente. Basta lembrar que a Loja A pode operar com muitos Recebimentos de Concessionárias (23,26% de aumento), enquanto a Loja B opera com muitos Tributos Municipais (12,77% de aumento). Isto, obviamente, interfere no valor médio (ponderado) da tarifação recebida.

    É de se perguntar:

    – Afinal, estes Reajustes acompanharam a Inflação, neste período?

    – Vamos ver … abaixo apresentamos uma Tabela que permite comparações.

    Tarifas x Inflação:

    – Vamos entender a tabela acima?

    – Pois bem:

    • A última linha “Meses” mostra o tempo em meses entre um reajuste e o próximo reajuste. Calculando a média deles, concluímos que o reajuste das Tarifas se dá, em Média, de 22 em 22 meses!!! Isto tem que acabar!
      O Lotérico não consegue pagar as despesas decorrentes deste Serviço que é muito mal pago e, ainda, sem uma correção constante!
    • As 3 primeiras linhas da Tabela nos fornecem 3 índices que “medem” a Inflação e a 4ª linha nos dá a Inflação Média, do período de Set/2006 a Ago/2017. Esta Inflação Média, cujo acumulado foi de 89,6%. Será que os reajustes foram suficientes para – no mínimo – acompanhar a Inflação?
    • A 5ª linha (penúltima) nos dá os reajustes (em %) das Tarifas neste mesmo período e o Reajuste Acumulado de 90,3 %.

    – E aí, os Reajustes acompanharam ou não a Inflação neste período?

    – Claro que sim! Enquanto a Inflação foi de 89,6%, os Reajustes foram de 90,3%.  Houve, portanto, um empate no período de 09/2006 a 08/2017! Porém, veja o comentário a seguir.

    Qual deveria ser o Valor da Tarifa:

    Em 1995 quando foram implantados os Serviços Bancários nas Casas Lotéricas, o Valor Médio das Tarifas era de R$ 0,19 e a tabela acima corrige este valor até Ago/2017.

    Dependendo do Índice Econômico adotado temos uma variação no Valor da Tarifa, variando de R$ 0,91 a R$ 1,14, com um Valor Médio de R$ 0,99.
    Desta forma, o valor pago a partir de 28/08/2017 de R$ 0,63 é apenas 63,6% (0,63 / 0,99) do valor que se deveria pagar!

    Este valor de R$ 0,63 está muito aquém do valor corrigido pela Inflação! Deveria ser, no mínimo, de R$ 0,99 !!!

    Observe que R$ 0,99 só corrige o valor da Tarifa, ou seja, não estamos considerando que para executar este Serviço há Despesas!

    Estas Despesas, decorrentes da prestação destes Serviços Bancários,  são muito grandes:
    (a) Há o Seguro da Loja que depende do montante que circula na Loja;

    (b) Há o Carro Forte que, apesar da CAIXA ressarcir o Lotérico de uma
    parte destes custos, ele ainda é alto e também depende do volume de
    dinheiro envolvido;

    (c) Há o custo com os Funcionários e os Salários são os que mais
    pesam nas Despesas da Loja.

    (d) Há as Despesas com Segurança, uma vez que as Lotéricas são
    muito visadas, justamente pelo montante de numerário que circula em
    suas dependências.

    O Projeto de Lei PL 7306/2017, se aprovado, estabelecerá valores mais justos e que os reajustes sejam anuais; assim esperamos!


    Cláudio Roberto Vigna
    Bacharel em Matemática Pura
    Instituto de Matemática e Estatística
    Universidade de São Paulo – São Paulo/SP
    Fundador e Sócio-Gerente da CRV Sistemas & Consultoria 


Compartilhe o Post